O novo

Então outro dia falei que os Escritores na Estrada era uma espécie de FLAP delivery. Claro! Se a FLAP era conhecer pessoalmente poetas de diversas origens e paragens, que não se encontram cotidianamente nos mesmos lugares, que não frequentam os lugares estabelecidos, então agora nós éramos esses poetas. À diferença que os lugares cotidianos, estabelecidos, estavam de saída afastados, porque iríamos longe… então para nós, nada seria cotidiano, nada seria estabelecido. Nós seríamos os convidados.

 

E até me sentiria mal de dizer: nós nos convidamos… se não fosse a acolhida carinhosa de tantos amigos e companheiros de ofício. Cheque a página do nosso Mapa de viagem, a cada hora recebemos novas confirmações e fechamos mais um evento. Isso prova que não somente nós, o anelo pelo intercâmbio é comum, é comum a todos nós…